Paróquia de Santiago de Torres Novas

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADSTR/PRQ/PTNV14
Title type
Controlado
Date range
1810 Date is certain to 1911 Date is certain
Dimension and support
114 liv.; papel
Biography or history
Concelho: Torres Novas

Freguesia/Localidade: Santiago/Torres Novas

Orago: Santiago Maior, apóstolo

Lugares, quintas, casais e outros topónimos: Torres Novas (parte), Riachos, Meia Via, Gateiras, Pintainhos e vários casais (1758) Carreiro da Areia, Poços (1843) Torres Novas (Calçada de António Nunes, Calçada do Quebra-Costas, Escadinhas de Santiago, Largo da Rua Nova, Largo de Santo André, Largo de Vale Verde, Largo do Terreiro da Cruz, Regueira de Água, Rossio de São Sebastião, Rua das Freiras, Rua de Santiago, Rua de Vale Verde, Rua Direita, Rua do Teatro, Rua dos Anjos, Rua dos Ferreiros, Rua dos Sabugueiros, Rua Nova, Rua Nova de Dentro, Travessa da Regueira de Água, Travessa dos Albardeiros, Travessa dos Vasconcelos), Carvalhais, Casais das Hortas, Casais das Vieiras, Casal da Amoreira, Casal da Barreta, Casal da Comenda, Casal da Olhareira, Casal do Estanqueiro, Casal do Freixo, Casal do Redondo, Casal das Vieiras, Casal Vermelho, Casais da Charneca, Casais dos Castelos, Casais dos Formigos, Entroncamento, Estação de Torres Novas, Lagar Novo, Quinta do Melo, Quinta de Carvalhais, Quinta da Rainha, Quinta do Minhoto, Quinta de Santo António, Quinta Velha, Riachinhos, Vale de Seves, Vendas (batismos 1843-1885), Botequim, Canto da Atalaia, Casal Bretes, Casal da Agreira, Casal da Cascalheira, Casal do Freixo, Casal do Guadiana, Casal do Paixão, Casal do Pinhal, Casal do Pote, Casal Fonseca, Casal Pimenta, Casal Queirós, Casais de Sebes, Charneca da Meia Via, Quinta da Cabrita, Quinta da Cortiça (AC)



Pertencia à Casa de Aveiro por doação de D. Manuel I, em 27 de maio de 1500, a D. Jorge de Lancastre, filho bastardo de D. João II, duque de Coimbra, mestre de Santiago, progenitor dos duques de Aveiro permanecendo na mesma Casa até 13 de janeiro de 1759, data em que é supliciado o 8.º duque de Aveiro, 8.º conde de Santa Cruz e 5.º marquês de Gouveia, por alegadas implicações no atentado a D. José I a 3 de setembro de 1759, passando para a Coroa.

Em meados do séc. XVIII era priorado apresentado pelo Duque de Aveiro. Tinha anexas as paróquias de Nossa Senhora do Ó, em Olaia e a de Igreja Nova de Paialvo, então do concelho de Torres Novas, mas que o alvará de 2 de maio de 1769 eleva a concelho, com tutela senhorial de Lourenço da Câmara Coutinho, almotacé-mor do reino, concelho extinto em meados do séc. XIX e integrado, como freguesia, no de Tomar.

Em 1758 tinha 5 beneficiados. Situavam-se nos limites desta antiga freguesia a capela de Santo António, em Riachos, a de Nossa Senhora de Monserrate, em Meia Via, um oratório particular na Quinta do Minhoto, do capitão-mor João Freire Gameiro e na Quinta do Guimarães, de seu filho, Lopo José Gameiro, uma capela com porta pública para o pátio da dita quinta. Em 9 de setembro de 2000 é inaugurada uma capela, destinada ao culto público regular, dedicada aos Pastorinhos de Fátima, em Casais Castelos e em 2001 é referido ainda como lugar de culto a igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Carreiro da Areia.

Parte da freguesia de Santiago é desanexada em 1926 para a constituição da freguesia de Entroncamento e outra parte em 5 de fevereiro de 1929 para a de Riachos cuja paróquia, dedicada a Santo António, foi criada em 5 de fevereiro de 1920. A paróquia da Sagrada Família de Entroncamento só viria a ser criada em 2 de fevereiro de 1939, com sede na capela de São João Batista, das Vaginhas enquanto decorreu a construção da igreja paroquial, inaugurada em 7 de julho de 1940.

Pertenceu ao Patriarcado até à criação da Diocese de Santarém, em 16 de julho de 1975, pela Bula "Aposticae Sedis Consuetudinem", do Papa Paulo VI, diocese sufragânea da de Lisboa. Pertence ao arciprestado de Torres Novas, antiga vigararia.

Custodial history
Em geral, os originais estiveram na posse da igreja paroquial até 1859. O Decreto de 19 de agosto do dito ano ordenou que os livros e documentos de registo paroquial fossem arquivados nas Câmaras Eclesiásticas, ficando os duplicados guardados nas paróquias. O Decreto de 18 de fevereiro de 1911 (DG nº 41, de 20 de fevereiro de 1911) que instituiu o Registo Civil obrigatório, ordenou que os livros de registo paroquial existentes nas Câmaras Eclesiásticas, bem como os originais e duplicados, conservados pelos párocos, à medida que cessassem funções nas respectivas paróquias, fossem transferidos para as competentes Conservatórias do Registo Civil. Em 1916 (Decreto n.º 2225, de 18 de fevereiro), com o fim de recolher os registos paroquiais, nos termos do Decreto n.º 1630, de 9 de junho de 1915, é criado o Arquivo dos Registos Paroquiais, Registo Civil, anexo ao Arquivo Nacional, que pelo Decreto de 18 de maio de 1918, era também arquivo dos distritos de Lisboa e Santarém. Com sede no extinto paço episcopal de São Vicente de Fora é transferido, em 1953, para um rés-do-chão na Rua dos Prazeres, e em 1972 para o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, no Palácio de São Bento, onde permaneceu até 1990, ana da transferência e inauguração do edifício próprio no Campo Grande. O Arquivo Distrital de Santarém, criado pelo Decreto n.º 46.350, de 22 de maio de 1965, inicia funções em 1974 e só em 1981 incorpora pela primeira vez registos paroquiais de Torres Novas provenientes da respetiva Conservatória do Registo Civil. Permanece na posse do Arquivo Distrital de Lisboa (Torre do Tombo) documentação original até meados do séc. XIX bem como os duplicados de 1860 a 1910.
Acquisition information
Incorporações de 27 de janeiro de 1981, 28 de junho de 1991, 2 de julho de 1996, 10 de março de 2005 e 14 de março de 2012 provenientes da Conservatória do Registo Civil de Torres Novas.
Scope and content
Concelho de Torres Novas. União das Freguesias de Torres Novas - Santa Maria, Salvador e Santiago.

Documentação constituída por registos de batismos, casamentos e óbitos.

Originais e duplicados.
Accruals
Incorporações obrigatórias, periódicas. O destino e o prazo foram fixados desde logo pelo Decreto n.º 1640, de 9 de junho de 1915, que determinou que de cinco em cinco anos fossem incorporados nos arquivos [distritais], então subordinados à Inspecção das Bibliotecas, os livros com mais de 100 anos, contados a partir da data do último assento, regra confirmada pelos Códigos de Registo Civil subsequentes.
Arrangement
Organização temática. Ordenação cronológica.
Access restrictions
Documentação sem restrições de acesso em termos legais.
Language of the material
Português
Other finding aid
MARIZ, José, coord. técn. –Inventário colectivo dos registos paroquiais. vol. 1 –Centro e Sul. Lisboa: Secretaria de Estado da Cultura/ Arquivos Nacionais/ Torre do Tombo, 1993; ADSTR -Registos Paroquiais: Inventário e índices, concelho de Torres Novas. Guias de remessa.
Alternative form available
Portugal, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Santiago [Torres Novas], Duplicados de registos batismos, casamentos e óbitos, 1860-1910; Portugal, Arquivo Distrital de Santarém, Paróquia de Santiago [Torres Novas], Duplicados de registos batismos, casamentos e óbitos, 1911; Portugal, Arquivo Nacional da Torre do Tombo e Portugal, Arquivo Distrital de Santarém, Paróquia de Santiago [Torres Novas], microfilmes de registos de batismos, casamentos e óbitos, 1531-1843 (SGU 1818, 1820, 1821) e microfilmes de duplicados de registos de batismos, casamentos e óbitos, 1860-1910 (SGU 1994-1999).
Related material
Relação completiva: Portugal, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Santiago [Torres Novas], registos de batismos, casamentos e óbitos, 1531-1843.

Relação sucessora: Portugal, Conservatória do Registo Civil de Torres Novas, registo civil de nascimentos, casamentos, óbitos e outros, 1911-____; Portugal, Arquivo Distrital de Santarém, Conservatória do Registo Civil de Torres Novas, extratos de registo de nascimentos, (1911-1978), casamentos (1911-1958), óbitos (1911-1958), reconhecimentos e legitimações (1911-1958) e transcrições (1933-1958).
Notes
Bibliografia para a história administrativa:

BICHO, Joaquim Rodrigues; FERREIRA, João António da Costa (Pe.) – Diocese de Santarém 25 anos: Memória, vida e projecto. [Santarém]: Diocese de Santarém, 2001; BICHO, Joaquim Rodrigues -Toponímia da cidade de Torres Novas. Torres Novas: Câmara Municipal de Torres Novas, [1999]. ISBN: 972-9151-36-9; COSTA, Américo - Diccionario chorografico de Portugal continental e insular. Porto: Liv. Civilização, 1948, vol. XI, pp.774-784; GONÇALVES, Artur – Torres Novas, subsídios para a sua história, Torres Novas: “O Almonda”, 1993; LOPES, João Carlos – Torres Novas e o seu termo no meio do séc. XVIII: As memórias paroquiais. [s.l.]: Âmago da questão, 1998; LOPES, João Carlos – Torres Novas em 1919. In Nova Augusta: revista de Cultura, ed. comemorativa dos 100 anos da República, 1910-2010, Torres Novas: Município de Torres Novas, 2010; SILVA, Isabel (coord.) - Dicionário enciclopédico das freguesias. Matosinhos: Minha Terra, 1997, vol. 2; TEIXEIRA, Maria Elvira Marques (Apresentação e notas) – Memórias para a história da vila de Torre Novas [1745-46] por Luís Montês Matoso, presbítero escalabitano. (Col. “Estudos e Documentos”, n.º5). Torres Novas: Município de Torres Novas, 2008

Fontes para a história administrativa:

Portugal, Arquivo Distrital de Santarém, Paróquia de Santiago [Torres Novas], Registo de baptismos, B1, B11 e B29; Portugal, Arquivo Distrital de Santarém - Governo Civil de Santarém - Mappa estatístico, topográfico do distrito administrativo de Santarém contendo a designação das aldeias, casais e povoações -número de fogos – almas – nascimentos – casamentos - óbitos de cada freguesia no anno de 1843, mandado coligir pelo Secretário-Geral dessa época José Lopes da Fonseca e coligido pelo 2º oficial deste Governo Civil, José Carlos Petrone, 1 liv., ms; Portugal, Arquivo Nacional Torre do Tombo, Memórias Paroquiais, Santiago (Torres Novas), vol. 37, Mem.8, pp.823-828

Bibliografia para a história custodial:

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO -Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais: Centro e Sul. Lisboa: SEC; IAN/TT, 1998. vol. 1. ISBN 972-8107-08-0

MONTEIRO, Amadeu Martinho Cardoso de Castro -A génese dos arquivos distritais: o Arquivo Distrital de Castelo Branco e os seus livros paroquiais. In Estudos de Castelo Branco: Revista de Cultura. Castelo Branco: António Salvado. ISSN -0870-6344. Nova Série, nº 6 (Julho de 2007), 2007. p. 143-151
Creation date
09/03/2009 00:00:00
Last modification
13/07/2018 13:54:36