Paróquia de Azóia de Cima [Santarém]

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADSTR/PRQ/PSTR10
Title type
Controlado
Date range
1848 Date is certain to 1911 Date is certain
Dimension and support
7 liv.; papel
Biography or history
Concelho: Santarém

Freguesia/Localidade: Azóia de Cima

Orago: Nossa Senhora da Graça



Lugares e/ou casais: Azóia de Cima, Atalaia, Casais de Arrocho, Casais do Arneiro, Casais da Atalaia, Casal das Eiras, Casal do Frazão, Casal do Paço; em 1843: Azóia de Cima, Atalaia, Casais de Arrocho, Casais da Carvoeira, Casal da Portela, Casal do Frazão e Casalinho. (1758)

Nos registos, em meados do séc. XIX, encontramos também referência ao Casal de Vale de Flores.



Em 1758 aparece como comenda da Ordem de Avis anexa à Comenda de Santa Maria de Alcáçova. Refere o vigário, Frei Gaspar Henriques, na memória paroquial que antigamente quando esta Comenda se chamava Quinta Velha da Ordem, o pároco se denominava capelão curado e que ao momento, não obstante as definições da Ordem, lhe chamavam vigário, por se ter aumentado e ter sacrário. A Igreja era de oposição na Mesa da Consciência.

Com o advento do liberalismo e a extinção das ordens passou ao Patriarcado onde permaneceu até à criação da diocese de Santarém, em 16 de julho de 1975, pela Bula "Aposticae Sedis Consuetudinem", do Papa Paulo VI, diocese sufragânea de Lisboa. Actualmente pertence ao arciprestado de Santarém.
Custodial history
Em geral, os originais estiveram na posse da igreja paroquial até 1859. O Decreto de 19 de agosto do dito ano ordenou que os livros e documentos de registo paroquial fossem arquivados nas Câmaras Eclesiásticas, ficando os duplicados guardados nas paróquias. O Decreto de 18 de fevereiro de 1911 (DG n.º 41, de 20 de fevereiro de 1911) que instituiu o Registo Civil obrigatório, ordenou que os livros de registo paroquial existentes nas Câmaras Eclesiásticas, bem como os originais e duplicados, conservados pelos párocos, à medida que cessassem funções nas respectivas paróquias, fossem transferidos para as competentes Conservatórias do Registo Civil. Em 1916 (Decreto n.º 2225, de 18 de fevereiro), com o fim de recolher os registos paroquiais, nos termos do Decreto n.º 1630, de 9 de junho de 1915, é criado o Arquivo dos Registos Paroquiais, Registo Civil, anexo ao Arquivo Nacional, que pelo Decreto de 18 de maio de 1918, era também arquivo dos distritos de Lisboa e Santarém. Com sede no extinto paço episcopal de São Vicente de Fora é transferido, em 1953, para um rés-do-chão na Rua dos Prazeres, e em 1972 para o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, no Palácio de São Bento, onde permaneceu até 1990, data da transferência e inauguração do edifício próprio no Campo Grande. O Arquivo Distrital de Santarém, criado pelo Decreto n.º 46.350, de 22 de maio de 1965, inicia funções em 1974. Permanecem na posse do Arquivo Distrital de Lisboa (Torre do Tombo) grande parte dos registos parquiais até meados do séc. XIX e duplicados de 1860-1910..
Acquisition information
Incorporações de 8 de setembro de 1998, 12 de fevereiro de 2003, 13 de fevereiro de 2009 e 3 de fevereiro de 2012 provenientes da Conservatória do Registo Civil de Santarém.
Scope and content
Concelho de Santarém. Freguesia de Azóia de Cima. Documentação constituída por registos de baptismos, casamentos e óbitos.
Accruals
Incorporações obrigatórias, periódicas. O destino e o prazo foram fixados desde logo pelo Decreto n.º 1640, de 9 de junho de 1915, que determinou que de cinco em cinco anos fossem incorporados nos arquivos [distritais ou equiparados], então subordinados à Inspecção das Bibliotecas, os livros com mais de 100 anos, contados a partir da data do último assento, regra confirmada pelos Códigos de Registo Civil subsequentes.
Arrangement
Organização temática. Ordenação cronológica.
Access restrictions
Documentação sem restrições de acesso em termos legais.
Conditions governing use
A reprodução de originais por fotocópia pode estar sujeita a restrições decorrentes do seu estado de conservação. A reprodução fotográfica necessita de autorização da Direcção do ADSTR e a sua execução fica a cargo do interessado ou de outrem por ele contratado.

A reprodução de documentos em qualquer suporte, para efeitos de publicação ou outra utilização pública, necessita obrigatoriamente de autorização da Direcção do ADSTR com as contrapartidas inerentes aos direitos patrimoniais sendo obrigatória a menção da entidade detentora e do fundo a que pertence.
Language of the material
Português
Other finding aid
Guias de remessa; ADSTR -Inventário dos fundos paroquiais do concelho de Abrantes; SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO -Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais: Centro e Sul. Lisboa: SEC; IAN/TT, 1998. vol.1. ISBN 972-8107-08-0
Alternative form available
Portugal, Conservatória do Registo Civil de Leiria, extractos de registos de nascimentos, casamentos e óbitos, 1911-1978

Portugal, Arquivo Distrital de Lisboa, duplicados de registos de batismos, casamentos e óbitos, 1860-1908, microfilmes de originais de registos de batismos, 1839-1859 (rolo: SGU 1756), microfilmes de duplicados de registos de batismos, casamentos e óbitos, 1860-1908 (rolo: SGU 1892-1893)

Portugal, Arquivo Distrital de Santarém, microfilmes de originais de registos de batismos, 1839-1859 (rolo: SGU 1756), microfilmes de duplicados de registos de batismos, casamentos e óbitos, 1860-1908 (rolo: SGU 1892-1893)
Related material
Relação completiva: Portugal, Arquivo Distrital de Lisboa, Paróquia de Nossa Senhora da Graça de Azóia de Cima [Santarém], registos de batismos, 1839-1848

Portugal, Conservatória do Registo Civil de Santarém, Paróquia de Nossa Senhora da Graça de Azóia de Cima [Santarém], registos de batismos, 1903-1910



Relação sucessora: Portugal, Conservatória do Registo Civil de Santarém, registos de nascimentos, casamentos, óbitos, perfilhações, legitimações e transcrições, 1911-
Creation date
24/06/2011 00:00:00
Last modification
02/12/2015 09:25:54