Paróquia de Dornes [Ferreira do Zêzere]

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADSTR/PRQ/PFZZ05
Title type
Controlado
Date range
1619 Date is certain to 1911 Date is certain
Dimension and support
158 liv., 2 mç.; 1,33 m.l. ; papel
Biography or history
Concelho: Ferreira do Zêzere

Freguesia/Localidade: Dornes

Orago: Nossa Senhora do Pranto

Lugares: Albardão, Azenhas, Bairrada, Carril, Casal do Carril, Casal da Mata, Dornes, Frazoeira, Rio Cimeiro, Rio Fundeiro, Vale do Serrão. Bairrada e Rio Fundeiro pertenciam à Ordem de Malta (1758); Barrada, Cagida, Casal Ascenso Antunes, Joaninho, Junqueira, Lameirancha, Macieira da Rocha, Peralfaia, Quinta da Benta, Quintas, Ribeiro da Coroa, Salão de Baixo e Salão de Cima. (Ferreira Digital).

Data talvez do século XII e foi conhecida até ao fim do século XV como Dornas.

Era comenda da Ordem de Cristo.

Teve foral novo a 10 de novembro de 1513. Foi concelho, constituído pelas freguesias de Beco, Dornes e paio Mendes, até 6 de novembro de 1836, passando ao de Ferreira do Zêzere.

A paróquia de Nossa Senhora do Pranto da vila de Dornes era vigairaria, da Ordem de Cristo, de apresentação da Mesa da Consciência e Ordens.

Em meados do séc.XVIII tinha ainda, como locais de culto, as seguintes ermidas: de Jesus, Maria, José, no lugar da Frazoeira, pertencente a D. Maria Josefa Perpétua Cotrim de Carvalho, viúva do Capitão Mor Manuel Camelo de Carvalho, de Nossa Senhora da Purificação, também no lugar da Frazoeira, do povo, de Santo António e Santa Catarina, na vila, administradas pelo povo e São Sebastião, no lugar de Carril, também do povo.

Pertence atualmente ao arciprestado de Ferreira do Zêzere, diocese de Coimbra.
Custodial history
Em geral, os originais estiveram na posse da igreja paroquial até 1859. O Decreto de 19 de Agosto do dito ano ordenou que os livros e documentos de registo paroquial fossem arquivados nas Câmaras Eclesiásticas, ficando os duplicados guardados nas paróquias. O Decreto de 18 de Fevereiro de 1911 (DG nº 41, de 20 de Fevereiro de 1911) que instituiu o registo civil obrigatório, ordenou que os livros de registo paroquial existentes nas Câmaras Eclesiásticas, bem como os originais e duplicados, conservados pelos párocos, à medida que cessassem funções nas respectivas paróquias, fossem transferidos para as competentes Conservatórias do Registo Civil. Em 1916 (Decreto nº 2225, de 18 de Fevereiro), com o fim de recolher os registos paroquiais, nos termos do Decreto nº 1630 de 9 de Junho de 1915, é criado o Arquivo dos Registos Paroquiais, Registo Civil, anexo ao Arquivo Nacional, que pelo Decreto de 18 de Maio de 1918, era também arquivo dos distritos de Lisboa e Santarém. Com sede no extinto paço episcopal de São Vicente de Fora é transferido, em 1953, para um rés-do-chão na Rua dos Prazeres, e em 1972 para o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, no Palácio de São Bento, onde permaneceu até 1990, data da transferência e inauguração do edifício próprio no Campo Grande. O Arquivo Distrital de Santarém, criado pelo Decreto nº 46.350 de 22 de Maio de 1965, inicia funções em 1974. Permanecem na posse do Arquivo Distrital de Lisboa (Torre do Tombo) originais até meados do séc. XIX.

A partir de 1917, o Arquivo da Universidade de Coimbra passa a receber documentação de outros organismos que não a produzida pela própria Universidade ganhando competências de Arquivo Distrital, só expressas na Lei a partir de 1931. A incorporação de Registos Paroquiais da diocese de Coimbra inicia-se em 1921, inicialmente proveniente do Seminário de Coimbra e só depois das respetivas Conservatórias do Registo Civil.

Não possuímos dados que nos permitam clarificar a razão pela qual alguns registos paroquiais de Ferreira do Zêzere se encontrarem no Arquivo Distrital de Lisboa e outros no da Universidade de Coimbra.
Acquisition information
Incorporações de 6 de maio de 1992, proveniente do Arquivo da Universidade de Coimbra, de 1 de julho de 1987 e 13 de abril de 2004, provenientes da Conservatória do Registo Civil de Ferreira do Zêzere e de 26 de janeiro de 2005, proveniente de Conservatória do Registo Civil de Santarém.
Scope and content
Concelho de Ferreira do Zêzere. Freguesia de Dornes. Documentação constituída por registos de batismos, casamentos, processos de casamento, óbitos e respetivos duplicados.
Accruals
Incorporações obrigatórias, periódicas. O destino e o prazo foram fixados desde logo pelo Decreto n.º 1640, de 9 de junho de 1915, que determinou que de cinco em cinco anos fossem incorporados nos arquivos [distritais ou equiparados], então subordinados à Inspecção das Bibliotecas, os livros com mais de 100 anos, contados a partir da data do último assento, regra confirmada pelos Códigos de Registo Civil subsequentes.
Arrangement
Organização temática. Ordenação cronológica.
Access restrictions
Documentação sem restrições de consulta em termos legais.
Language of the material
Português
Physical characteristics and technical requirements
Razoável
Other finding aid
Guias de remessa; ADSTR - Inventário dos fundos paroquiais do concelho de Ferreira do Zêzere; SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais: Centro e Sul. Lisboa: SEC; IAN/TT, 1998. vol. 1. ISBN 972-8107-08-0
Alternative form available
Portugal, Conservatória do Registo Civil de Santarém, duplicados de registo de batismos, casamentos, óbitos, 1860-1911; Portugal, Arquivo da Universidade de Coimbra, Paróquia de Dornes, microfilmes de originais, 1620-1855 (rolo: SGU 171-173)
Related material
Relação sucessora: Portugal, Conservatória do Registo Civil de Ferreira do Zêzere, registo de nascimentos, casamentos, óbitos, perfilhações, legitimações e transcrições, 1911- ; Portugal, Arquivo Distrital de Santarém, Conservatória do Registo Civil de Ferreira do Zêzere, Extractos de registo de nascimentos, casamentos, óbitos, perfilhações, legitimações e transcrições, 1911-1978
Creation date
5/4/2011 12:00:00 AM
Last modification
11/18/2015 2:49:43 PM
Record not reviewed.